Governo do Maranhão implanta projeto Conselho Comunitário Pela Paz na cidade de Araioses

IMG_9249.jpg

Membros do Conselho - Imagem: Mateus Coutinho

Membros do Conselho – Imagem: Mateus Coutinho

Na manhã de hoje (26/04), no auditório do Colégio Tudes José Cardoso, foi instaurada na cidade uma chapa responsável pela organização do conselho social do “Pacto pela paz”, com a participação de populares e constituintes do Estado do Maranhão com um único objetivo: mobilizar toda a população na participação da segurança publica do município.

Foram convidadas organizações sindicais (SINTRAF, SINDPESCA, Colônia dos Pescadores), segmentos comunitários (Associação Amigos do Rio Santa Rosa, SINDSEPMA, Associação de Pescadores Artesanais, Sindicato dos Arrumadores, Associação de Arte e Cultura Araiosense) segmento religioso (Pe. Oleriano, Igrejas Evangélicas Assembleia de Deus e Presbiteriana e segmentos Espíritas, Umbandistas e do Candomblé). Autoridades como o delegado de Araioses, Dr. Raphael Reis, secretário de administração do município, Bernardo Araújo e o deputado federal Julião Amin (PDT) também se fizeram presentes no evento.

Dr. Raphael Reis sintetizou que o intuito do projeto é inserir a comunidade, responsabilizando a todos pela segurança. Continuou dizendo que ele tem o intuito de apoiar os segmentos policiais e judiciais. Afirmou que durante os seus dois anos de atuação na cidade de Araioses, as polícias Civil e Militar realizaram um grande trabalho em Araioses, efetuando prisões de criminosos perigosíssimos. Entre estas, destacou a receptação de motocicletas, cujo dinheiro era investido no tráfico. Disse que essa quadrilha foi presa graças à população araiosense. Finalizou destacando que apesar do esforço das polícias araiosenses, Segurança Pública não se resume a prender bandido: é educação, iluminação, limpeza… E que o papel dos conselheiros é cobrar das autoridades a manutenção dessas obrigações.

Pe. Oleriano destacou que a falta de segurança é proveniente da falta de justiça e educação. Disse que esses são fatores que transformam a insegurança em uma bola de neve. Exemplificou uma experiência em uma cidade por onde passou, onde houve um trabalho de ressocialização de dependentes químicos.

O que seria esse pacto?

Seria a ajuda mútua, educação e interdependência, assim criando uma sociedade reciproca e isonômica. A paz positiva vem a ser não somente uma forma de prevenção contra a guerra, mas a construção de uma sociedade melhor, na qual mais pessoas comungam do espaço social.

Especificamente a união dos munícipes e das forças de segurança atuando de forma legal para desenvolvimento social da comunidade. Assim, esclarecer que uma sociedade precisa de paz interna, entre pessoas, nas relações sociais, jurídicas e profissionais. Que se justifica por um cotidiano menos violento, com respeito à vida, e com um mínimo de dignidade.

No entanto, não só, limites sociais, políticos e econômicos por meio do Direito. Ou seja, por meio das regras, princípios, direitos e deveres positivados e aplicados, nos quais estabelecem um caminho para a paz.  Assim, neste contexto, podemos dizer que está na mãos do Estado o melhor instrumento para se buscar a paz, sem deixar de lado a participação dos cidadãos, haja vista que a paz se estabelece por meio de ambos os segmentos sociais. Tendo competência maior o Estado dever de manter a ordem social pelas regras e princípios de direito e o cidadão que exercem osua cidadania cumprindo deveres e exercendo direitos.

Porém, não podemos usar de utopia. Vivemos em uma sociedade carente e falida principalmente no meio politico que tem o dever maior de executar todos estes instrumentos legais. Ausência de segurança publica é consequência também do modelo “atrasado” da politica. E Contribui a miséria, a fome, a falta de emprego e uma educação pobre faz nascer conflitos que conexos a falta de políticas para a segurança publica arrebata a tranquilidade do pais, generalizando o aumento da criminalidade.

Não só o pacto mais por meio deste devemos mudar todo a nossa visão em sociedade, usando sempre a legalidade para estabelecer resoluções destes problemas que afligem nossa sociedade moderna. Concomitantemente, trabalhando em conjunto com a politica da nossa sociedade para melhoria do sistema jurídica e aumento das penalizações assim como desenvolvimento econômico e educacional de uma dada sociedade.

Por Mateus Coutinho e Jonatan Aguiar
Imagens: Mateus Coutinho

Mateus Coutinho

Mateus Coutinho

Tenho 19 anos e moro em Araioses-MA. Sou redator e diretor comercial do Portal Panorama.

scroll to top
Open

Portal Panorama