URGENTE: Ex-presidente Temer é preso pela Lava Jato em SP após delação

PANORAMA-URGENTE.jpg

O ex-presidente do Brasil, Michel Temer (MDB) foi preso na manhã desta quinta-feira (21/03), pela força-tarefa da operação Lava Jato, após decisão do juiz Marcelo Bretas. Ainda não se sabe o motivo da prisão do ex-presidente.

Temer responde a dez inquéritos: cinco deles tramitavam no Supremo Tribunal Federal (STF), pois foram abertos à época em que ele era presidente da República e foram encaminhados à primeira instância depois que ele deixou o cargo. Os outros cinco foram autorizados pelo ministro Luís Roberto Barroso em 2019, quando Temer já não tinha mais foro privilegiado. Por isso, assim que deu a autorização, o ministro enviou os inquéritos para a primeira instância. A Polícia Federal ainda tenta prender o ex-ministro das Minas e Energia, Moreira Franco.

Temer deveria ser levado ao aeroporto de Congonhas, mas por uma questão de logística, será levado para o Aeroporto de Cumbica, em Guarulhos, onde vai embarcar em um voo e será levado ao Rio de Janeiro em um avião da Polícia Federal. O ex-presidente deve fazer exame de corpo de delito no IML em um local reservado e não deve ser levado à sede da PF de São Paulo, na Lapa.

Desde quarta-feira (20), a PF tentava rastrear e confirmar a localização de Temer, sem ter sucesso. Por isso, a operação prevista para as primeiras horas da manhã desta quinta-feira atrasou.

A prisão de Michel Temer é fruto, principalmente, da delação de José Antunes Sobrinho, sócio da Engevix, no âmbito da operação Radioatividade. Antunes Sobrinho revelou o repasse de R$ 1,1 milhão para o coronel aposentado da Polícia Militar João Batista Lima Filho, amigo de Temer.

Em nota à imprensa, o MDB disse que:

O MDB lamenta a postura açodada da Justiça à revelia do andamento de um inquérito em que foi demonstrado que não há irregularidade por parte do ex-presidente da República, Michel Temer e do ex-ministro Moreira Franco. O MDB espera que a Justiça restabeleça as liberdades individuais, a presunção de inocência, o direito ao contraditório e o direito de defesa.

Com informações de G1, O Antagonista, BandNews TV e Veja
Edição: Jonatan Aguiar/Panorama

Jonatan Aguiar

Jonatan Aguiar

Nascido em Praia Grande-SP, moro em Araioses desde 2002. Sou repórter e Diretor Geral do Portal Panorama.

scroll to top
Open

Portal Panorama